Taiwan torna-se primeiro país da Ásia a legalizar o casamento gay

A ilha é conhecida pelos seus valores liberais e progressistas e é palco de uma das maiores marchas anuais de orgulho gay

O painel de juízes do Supremo Tribunal de Taiwan decidiu esta quarta-feira de manhã a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Taiwan torna-se, assim, o primeiro país da Ásia a legalizar as uniões gay numa altura em que a comunidade LGBT está a ser cada vez mais perseguida e reprimida na região.

Na sentença, os juízes afirmaram que a atual legislação em vigor na ilha Formosa, que define que o casamento é entre um homem e uma mulher, viola os direitos dos gays, lésbicas, bissexuais e pessoas transgénero. O Parlamento fica assim obrigado a alterar essas leis ou a aprovar novas leis que enquadrem o casamento legal entre pessoas do mesmo sexo.

Os direitos da comunidade LGBT foram ganhando corpo ao longo do último ano, depois de Tsai Ing-wen se ter tornado a primeira mulher a ser eleita Presidente do pequeno país cuja independência, formalmente declarada em 1949, não é reconhecida pela China nem pelos que apoiam a política de Uma Só China, como os Estados Unidos (Pequim vê Taiwan como uma província separatista e continua a reivindicar soberania sobre o território).

A ilha é conhecida pelos seus valores liberais e progressistas e é palco de uma das maiores marchas anuais de orgulho gay. Tsai apoia abertamente os direitos da comunidade LGBT, bem como uma parte da população. Contudo, nos últimos meses foram registados protestos em massa organizados por movimentos conservadores que se opõem ao reconhecimento de uniões homossexuais.

 
Comentários